quarta-feira, 4 de maio de 2011

Dona Beti

Dona Beti, senhorinha engraçada!Dona Beti fazia tronquinhos.Troquinhos eram doces de chocolate e coco, de sabor inconfundível! Dava o maior trabalhão pra fazer, mas que prazer era aquele de eu, menina, ao abrir um pote cheio de tronquinhos! Ai, minha boca salivava e eu comia cada um como se fosse o último. Devorava-os me delongando em cada mordida, extraindo o máximo de sabor de cada milímetro de coco com chocolate. Um dia hei de encontrar quem faça tronquinhos. Claro que eles não chegarão aos pés dos da Dona Beti, mas pelo menos para me lembrar.
Super atenciosa, Dona Beti me enchia de mimos e presentinhos. Conquistava-me pela simpatia! Adorava-a, com toda a sinceridade, mesmo que fosse sem os tronquinhos! Mas disso não preciso falar, pois amor de criança é sincero, diferente do de adulto cheio de seus poréns. Amor não tem poréns, não precisa.
Nem mesmo cheguei a conhecer Dona Beti. Pelo menos não que eu me lebre. Se não lembro então não conheci. Depois de um tempo ela foi. Deve ter virado nuvem. Não sei bem, mas Dona Beti estará para sempre no meu paladar, e no meu dedo anular.

7 comentários:

  1. muito bonito isso viu

    Por que no dedo anular?

    ResponderExcluir
  2. Porque fiquei com um anel dela.

    ResponderExcluir
  3. Não sabia que além de escrever poesia escrevia crônicas... rsrsrs

    Meus parabens Sara!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada... quem é? rsrs
    Beijos !

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Sou o autor do blog http://rascunhospsicoticos.blogspot.com/

    Mas prefiro ficar como anonimo pq o meu blog é rídiculo... kkkkkk

    ResponderExcluir
  7. Não é rididículo não!Já segui lá! Mas quem é?? Ai, morro de curiosidade com esses anônimos.

    ResponderExcluir